terça-feira, 22 de julho de 2014

Medo...medo e medo...rs

É galera, eu ainda tenho medo de colocar em prática o que venho aprendendo sobre viagem astral, bom tudo bem não nasci com esse dom, embora eu sei que este pode ser desenvolvido por qualquer um, basta muita dedicação, paciência e estudo.

Eu continuarei a estudar mesmo pq é um tema que me fascina e eu aprendo muito sobre qual o sentido da vida, em como me equilibrar emocionalmente em relação a mim e aos outros.

Segue um texto muito esclarecedor sobre esse tema:

Projeciologia:
"A Ciência da Viagem Fora do Corpo"

A Projeciologia é uma subdisciplina dentro da Parapsicologia, que estuda especificamente o fenômeno da projeção da consciência para fora do corpo humano.
Outrora analisado de maneira mística e simbólica, o fenômeno da projeção da consciência é hoje pesquisado de maneira científica. Na verdade, desde o final do século XIX, com o advento da "Society for Psychical Research" -S.P.R. - (Sociedade de Pesquisas Psíquicas), alguns pesquisadores dedicados vêm realizando esforços na tentativa de desmistificar o fenômeno, analisando-o de forma mais racional.
A S.P.R. foi fundada em Londres, Inglaterra, no dia 20 de fevereiro de 1882, por um grupo de cientistas interessados em pesquisar de maneira séria os fenômenos parapsíquicos. Em 1886, a S.P.R. publicou uma obra de 1420 páginas, dividida em dois volumes, que é um marco na pesquisa psíquica. Essa obra é de autoria de três grandes pesquisadores: Edmund Gurney (1847-1888), Frederic Willian Henry Myers (1843-1901) e August Frank Podmore (1856-1910) e se chama "Phantasms of The Living" ("Fantasmas dos Vivos"). Pelo título, o leitor já deve ter observado que se trata de um estudo sobre os fenômenos parapsíquicos produzidos pelos vivos "encarnados", dentre os quais se destaca a projeção da consciência, que recebeu grande destaque dos autores, sendo analisada minuciosamente em diversas páginas. Ao que consta, essa obra, que contém uma relação de 702 casos numerados de fenômenos parapsíquicos e projeciológicos, foi o resultado da primeira pesquisa científica efetuada sobre a paranormalidade humana.
A S.P.R. possui registrados nos seus arquivos de fenômenos parapsíquicos centenas de casos de projeção da consciência coletados e analisados minuciosamente pelos seus pesquisadores.
No início do século XX, alguns pesquisadores independentes efetuaram experiências que visavam induzir a exteriorização da sensibilidade e a projeção da consciência para fora do corpo humano por meio do magnetismo animal. Essas experiências foram realizadas com pessoas magnetizadas, que haviam sido induzidas a entrar em transe mediante o uso de técnicas mesméricas.
Quase todo o trabalho de pesquisa sobre a projeção da consciência efetuado por meio do magnetismo animal foi empreendido por pesquisadores franceses, dentre os quais se destacam três: Hector Durville (1848-1923), Charles Lancelin (1852-?) e Albert de Rochas (1837-1914).
As modernas pesquisas científicas a respeito da experiência fora do corpo foram iniciadas na década de 1960 pelo pesquisador Charles Theodore Tart (1937-) que realizou diversas experiências com projetores nos laboratórios de parapsicologia dos E.U.A., quebrando assim a conotação mística que envolvia o fenômeno. Os primeiros projetores a serem estudados foram a desconhecida Madame "Z" (pseudônimo utilizado para preservar a identidade real da projetora) e o executivo Robert Allan Monroe, que posteriormente viria a publicar os livros "Viagens Fora do Corpo" e "Viagens Além do Universo".
Já na década de 1970, outros pesquisadores brilhantes como: D. Scott Rogo (1950-1990) e Karlis Osis (1917-) seguiram a trilha iniciada por Tart e efetuaram novas experiências laboratoriais com diversos projetores. Por essa época, três desses projetores se destacaram nas pesquisas efetuadas, não só pelo êxito obtido nas experiências extracorpóreas, mas também por sua dedicação e honestidade. São eles: Ingo Swann (1937-), Alexander Tanous (1926-1990) e Stuart Keith Harary (1953-).
Na década de 1980, o médico e pesquisador brasileiro Waldo Vieira criou o neologismo "Projeciologia" para designar o subcampo dentro da Parapsicologia responsável pelo estudo da experiência fora do corpo.
A projeção da consciência não é nenhuma novidade. O que mudou foi o enfoque dado ao fenômeno, antes analisado de maneira mística e doutrinária e, agora, analisado tecnicamente por pesquisadores sérios e dedicados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário